Provavelmente esta segunda-feira que se passou foi a mais vergonhosa da diplomacia Lula! Vou citar “diplomacia Lula” porque acho que o nosso contato político com o exterior nunca foi tão intenso. Não sou fã de carteirinha do nosso Presidente, mas posso e devo admitir que em quesito diplomático, tem sido forte. Mas ultimamente o Brasil tem dado passos infalsos com as suas pernas diplomáticas que projetaram o país de uma forma fortísisma no cenário global!

Receber Ahmadinejad no Brasil foi sem dúvida a ponta do iceberg! Receber alguém do tipo com honrarias de Estado é sem dúvida algo terrível! Um homem que diz que varrerá Israel do mapa, que é totalmente machista e homofóbico (diz que não há homossexuais no Irã), que vem criando um programa nuclear duvidoso, que nega o Holocausto, a mais terríveis das tragédias humanas e por aí vai. Será que um tipo de pessoa como essa, deve ser recebida em um país democrático, que aceita as diferenças a abriga todos os tipos humanos? Eis a dúvida! São como dois pólos opostos de um ímã tentando se juntar e simplesmente pela lei física, não conseguem.

Infelizmente, toda regra tem sua exceção… e passamos pela crueldade de nos encaixarmos bem nessa bendita situação! Fomos exceção, os pólos oposto do  ímã se uniram. De um lado um que prega a liberdade do outro um que prega não se sabe bem o que, mas algo que não cheira muito bem.

Rejeitar essa visita soaria mal? Com certeza não, quantos países estão fechados para o Irã? Ou melhor, não para o Irã, mas para seu Presidente despótico disfarçado sob a máscara de bom rapaz do Oriente Médio. Nosso querido Presidente (que sempre fala algo que não deve – este deveria ser o seu sobrenome) disse que não podemos nem devemos isolar o Irã… Mas peraí, o governo iraniano por um acaso vive civilizadamente com o governo de alguma Nação? Não, só com aquelas que tem os mesmos interesses que eles, como a Coréia do Norte ou Venezuela… não a Nação, seus governantes, os Chefes de Estado, não é culpa da Nação, não é culpa do povo.

Muitas pessoas fizeram coisas corretas – foram sem medo às ruas protestar contra a visita de tal homem. É maravilhoso saber que vivemos em clima de liberdade. E nos entristece saber que pessoas, de carne e ossos e acima de tudo, que tem sentimentos, assim como nós, vivem trancafiadas em suas países sem saber o que acontece pelo mundo afora, com a impotente justificativa da velha e odiada subversão!

A energia nuclear que esse Presidente insiste em desenvolver não é para fins pacíficos. Todos sabemos que potências nucleares alcançam um grande poder político regional a princípio e depois mundial. Se um país se armar até os dentes o seu vizinho, logo fará o mesmo por medo e assim esse efeito dominó vai pegando.

O ruim é sabermos que o governo iraniano tem más intenções com a energia nuclear e defendermos o seu desenvolvimento e uso – nosso bom Presidente fez isso. Alegando que quer para os outros o que o Brasil tem. Nossa maior vergonha energética não foi o blackout que pegou de surpresa 60 milhões de pessoas e sim termos duas usinas nucleares obsoletas, Angra I & II, material e equipamentos para a construção de uma terceira usina na região e planos para construções de outras pelos território! Energia cara, perigosa e que amedronta qualquer um – junta-se o inútil ao desagradável! Sem contar que somos um país com enorme potencial hidrelétrico, eólico e solar e podemos fazer uso de outras fontes energéticas limpas!

Não precisamos passar o mesmo que passaram e ainda passam as pessoas em Chernobyl, em outras localidades na antiga URSS ou mesmo em qualquer outro país desenvolvido. Vamos nos lembrar do incidente em Goiânia com césio 137…. Imagine só uma usina em processo de fissão ou fusão nuclear… uma bomba como as de Hiroshima e Nagasaki…

Nossa diplomacia precisa se lembrar de incidentes e tragédias que o mundo nunca se esquecerá antes de receber alguém que tem ódio contra os outros e quer fazer uso de tamanho perigo…

Anúncios