Há tempos não escrevia minhas revoltas ou meus incômodos. Não tenho intuito de virar um louco extremista como nunca o tive. Meu intuito é expressar minhas demandas – não demandas de maiorias, nem mesmo de minorias – mas demandas de indivíduos, o elo básico daquilo que chamamos sociedade. Sociedade a qual no meu ponto de vista precede o indivíduo, mas que de forma alguma anula ou mesmo o supera – devemos desenvolver todas as nossas liberdades e desejos sem quaisquer amarras e sem invadir o espaço alheio, uma vez tendo isso feito, cada qual poderá ser aquilo que é sem qualquer coerção doentia enfiada goela abaixo.

“Goela abaixo” é a expressão que nos simplifica. “Goela abaixo” é aquilo que vivemos. “Goela abaixo” é aquilo que nos destroi. “Goela abaixo” é quando o Estado desce em nossas cabeças e faz o que quer sem que tenhamos qualquer poder de resposta, seja por autoritarismo seja por falta de resposta pelo mesmo – nosso caso é um mix. Parafraseando Ayn Rand: “ Potencialmente, um governo é o mais perigosa das ameaças aos direitos do homem: tem o monopólio de usar a força física [ no nosso caso política, ideológica, POLICIALESCA] contra vítimas legalmente desarmadas [de poder político que descende “goela abaixo” de forma irredutível, conservadora para manutenção do poder de forma irracional]”.

A política do século XXI deve ser racional – não sou acadêmico, nem preciso ser para que possa afirmar isso. É preciso visar o desenvolvimento de cada qual de acordo com suas convicções de quaisquer natureza sem que forças exógenas diminuam a expansão do indivíduo e suas escolhas – é estranho me sentir liberal aos 21, mas é isso que sou. Não sou contra o bem-estar social, mas todas as partes do todo devem se expandir ao máximo eticamente com respeito ao próximo. Uma vez tendo o indivíduo desenvolvido temos em resposta a sociedade em mesma situação – isso não é um apelo ao isolamento, mas a um pensamento comum que não extingue a essência de cada qual. Uma vez lubrificado o motor do mundo [o indivíduo], todos os sistemas do organismo [social] funcionam.

Sejamos liberais – a sua, a minha, a nossa liberdade é um fim e não meio. Sejamos libertários – na busca de igualdade para todos sem distinção minoritária ou majoritária, mas com respeito ao individuo. E voltando ao ponto da racionalidade estatal de forma a alcançar o desenvolvimento individual e consequentemente geral: não há espaço para superstições, religiões, dogmas ou quaisquer tipos de crenças que possam tomar do homem o lugar que lhe é mantido como norte de si próprio, do seu crescimento e por fim da sua liberdade.

Brevemente dizendo a nossa ditadura, assim como toda e qualquer outra se resume no poder controlado incoerentemente, sendo manifestado sem resposta a demandas gerais. Não é uma ditadura declarada, mas silenciosa e perniciosa – a do pior tipo: pois esfacela tudo o que já foi construído.

A minha pergunta não é no singular. A minha pergunta não doi e é simples:

ELES TE REPRESENTAM?

Reflita.

Anúncios

“País rico é País sem pobreza” – caímos na redundância e assumimos que o Brasil não é um país nem rico nem sem miséria. Admitimos a verdade do país, aquela que já deveria ter sido dita há tempos. Obviamente tal lema não tem tal objetivo, mas sim o de mostrar que o Brasil enriquece no fim de um mandato, pois terá redução de miséria, tornando-se pois um país de menor desigualdade, ao meu ponto de vista o lema certo deveria ser, “País justo é País com igualdade”. Desse forma teríamos de volta todas as bases de uma Estado Democrático de Direito, aquele que além da liberdade do indivíduo e de seus direitos e deveres, traz consigo a justiça social, que deve ser entendida como um sinônimo de igualdade social e umas das bases para alcançá-la.
Ao seguir um modo de coordenção senão aquele que deve, um país perde todas as suas característica, patina e sai do curso. É como um carro em aquaplanagem, após um período de sentido em tudo aquilo que faz, entra em um momento de total incerteza que geralmente leva a um resultado desastroso, infelizmente, mas é essa a lógica que o Estado também segue.
O Estado como conjunto de insitituições deve ser coeso, de forma que contradições seja minimizadas, para que de tal forma, todo os sistema funcione perfeitamente. É como o corpo humano, a falta de ritmo existente em um dos nossos órgãos é capaz de comprometer toda a nossa fisiologia.
Devemos levar em consideração que a nossa situação é contrária àquela que deveria ser, nadamos contra a maré. Devemos admitir que muitas medidas tomadas nos ajudam, mas em cima delas falta controle, para que as mesmas possam funcionar de forma bem sucedida – para tal é necessária uma forte fiscalização.
A política é, foi e sempre será um jogo de interesses, um conflito sem fins – mas ela deve se direcionar mais ao tecnicismo do que à politicagem pura e assumida. Esperamos governos técnicos, pois só ela e somente ela é capaz de solucionar quaisquer pertinências. Ao levarmos em consideração a politcagem, entramos em um labiritindo de sentimentos pessoais, ideologias específicas, interesses de grupos específicos e assim por diante. A politicagem tem o poder de se sobrepor à técnica e ao sobrepô-la, abafa todo o poder e força inerentes à mesma o que gera interrompimento total fo fluxo correto que as necessidades de todos seguem.
“País rico é País sem pobreza” – devemos insistir que neste lema, bater na mesma tecla. Enquanto a superestrutura estatal não se organiza, é impossível que isso seja alcançado. Para a organização da mesma, é necessário que a infraestrutura também possa estar preparada, organizada, afinal, somos nós, o povo, os construtores de uma realidade, aquela na qual estamos inseridos. Isso simplesmente reafirma que o poder emana do povo. Não diria “A voz do Povo é a voz de Deus” – o Estado deve ser laico, sem qualquer influência religiosa, pois a mesma sempre interfere na vida de cada indivíduo de acordo com aquilo que prega – o Estado não pode interfeir na vida de qualquer indivíduo e suas escolhas, mas o indivíduo, como parte fundamental do Estado não só pode, com deve interferir no Estado e sua estrutura. Temos o poder de refutar aquilo que não é condizente com as necessidade socias, respeitando claro todos os grupos e suas difderenças. Só assim e somente assim a vida em grupo é harmônica. Em tais condições poderemos sim, ter um país rico e sem pobreza, mas na nossa conjuntura atual, sem tecnicismo, não.
De certa forma era esperado um governo tecnicista a partir de 1º de janeiro de 2011, entretanto entramos na infeliz politicagem, o que comprova que será outro governo de insucesso – afinal faz-se aquilo que vai de acordo com interesses de grupos específicos. Maquiavel foi corretíssimo em umas de suas máximas: “Antes ser temido que amado”. E assim se fez com a nossa base de governo. Com o escândalo Pallocci surgindo, a mesma (bsae) ameaça o governo em prejudicá-lo caso o mesmo não retire o que chamam de “kit gay” afirmando não ser correto ir contra as tradições de uma sociedade. Pallocci não poderia estar onde está, essa é a verdade, todos sabemos o porquê. A base governista se fez temer, principalmente a evangélica – antes ser temido que amado. Deus e a falta de ética entraram juntos em questões que atrapalham as nossas vidas. A conivência com a corrupção e o preconceito contra certos grupos com fundamentos religiosos.
Contra a tradição de uma sociedade, temos a corrupção – roubar não é certo ou tradicional. Isso sim, é ir contra toda a moral.
Parecemos ter chegado a pontos ser qualquer ligação. Mas a verdade é que não. Mostramos que a politicagem é geradora de entraves no progresso de uma Nação e que a mesma é conivente com a corrpução. A falta de governos tecnicistas, se torna um prejuízo para a sociedade como um todo. Os governos não-tecnicistas agem de acordo com aquilo que lhes é interessante, fazendo um jogo barato que não contribui para o progresso do social.
Governos que agem contra uma lógica prejudicam a todos. A miséria é fruto da inexistência de capacidade governamental. É impossível que um país caminhe a passos curtos ao longo de séculos, a única explicação parte da lógica de interação entre aqueles que represantam o todo.
Sem organização e estruturação forte é impossível que algo funcione. É hora a hora do povo passar a ser temido.

É muito comum ao terminar um ano vermos retrospectivas de tudo o que ocorreu, mas acho que 2010 merece mais, afinal, este ano marca o fim da década, a primeira do tão falado século XXI, o século do progresso!

Entrei nesta década com 9 anos de idade e saio com 19 anos! Vi nesse curto espaço de tempo coisas que nunca haviam sido presenciadas pela humanidade inteira! Me sinto um privelegiado pelos fatos bons e assustado pelas coisas ruins que vi, entretanto, acredito que os corações humanos ainda têm amor! Não só amor, mas também, creio, que juntos poderemos fazer do mundo um lugar melhor; um lugar de menos miséria; menos violência; menos ódio, de qualquer expressão: racial, social, sexual, de gêneros e claro de culturas; enfim, somos os que constroem nossa própria dignidade! Dignidade qual, precisamos e precisaremos, sempre!

Vamos pois ao que vi e ao que fiz!

O ver é mais importante do que o fazer nesse momento, afinal, seria egocêntrico ao falar apenas de mim… Brevemente falarei sobre mim e de forma mais ampla, daquilo que eu presenciei nesses 10 anos!

Conheci o mundo; aprendi duas línguas novas e tentei uma terceira; fiz amigos; ganhei duas ou mais famílias novas; coloquei outras cidades no meu coração; não consegui gostar de alguém em especial; descobri que não tenho limites; aprendi uma profissão e me mantive nela por 14 meses e ainda estou e pretendo estar; contraí dívidas e paguei; passei perrengues e me diverti; descobri coisas novas, umas gostei outras não – enfim, vivi a década! Vivi feliz!

Sobre o que eu presenciei no mundo…é uma lista longa!

Vi um presidente operário subir ao poder, ditadores serem punidos, um presidente negro no mais rico Estado do planeta, várias presidentes e primeiras-ministras mulheres, inclusive a nossa; vi invasão de países em guerra; ataques terroristas de deixar qualquer um boquiaberto; vi o mundo se unir num total de 3 vezes em Jogos Olímpicos – me foquei em Sydney, Atenas e Pequim, para ver os povos celebrarem a festa do esporte e da paz; vi o Brasil ser pentacampeão e mais, vi meu país ser escolhido para uma Olimpíada e Copa do Mundo; vi a prosperidade e a desgraça; vi a privação humana, que passa de forma transparente frente aos olhos de muitos e vi também a força de superação do homem; vi um tsunami, terremotos, vulcões, chuvas,deslizamentos de terra e nevascas – constatei que a natureza é a nossa mãe e que tem o seu recado, assim, ouvi e ouço falar muito do Efeito Estufa e seus efeitos; por mais que não seja religioso, vi dois Papas, um agregador e outro polêmico; tivemos também morte de estrelas e ao mesmo tempo o surgimento de algumas e outras se mantendo no topo, a música é música e sempre pulsa!
Vi estruturas vigentes caírem e novas surgirem; o mundo botou a boca no trambone para coisas erradas, mas há muito ainda a ser feito, entretanto, será; tivemos uma crise mundial que nos serve de alerta para com o dinheiro! Absurdos abusos foram denunciados, ou a justiça foi feita ou ainda tarda, mas não falha; o mundo se voltou para os países pobres, pois agora somos o novo centro de toda punjança; tivemos também dinheiro na cueca e muitas safadezas; o preconceito mostrou a sua cara, mas a consciência foi mais forte, embora tenhamos muito a ser feito; podemos estender as mãos e apreciar também mãos estendidas a nós!
Diria que não foi o século da solidariedade ou da paz, mas o século da esperança!
O século que começou com todas as conturbações e incertezas, mas que dia a dia, teve seus rumos ditados – foi uma década curta e direta, o progresso encurtou o mundo e encurtou o nosso tempo, mas não acabou com a nossa bondade.
Coisas absurdas haverão em toda e qualquer década, mas espero que a que se inicia em um dia, seja diferente – seja de consciencia! De consciência verde, sustentável, digna e amigável! Que haja compaixão, amor, inteligência, progresso e respeito! Que haja uma transgressão da bondade sobre tudo!
Amigos, sejamos mais conscientes do papel de cada um de nós! Afinal, somos os que devem cobrar tudo! O mundo está em nossas mãos e nós podemos! Podemos terminar com a miséria, com a dor, com o preconceito, com ditadores, levar mais mulheres ao poder e homens honestos, podemos ser amigos da Nação vizinha e evitarmos guerras, vigiar atentamente para que não haja corrupção, ajudar ao próximo pra que haja dignidade, mudar toda a estrutura vigente, para uma que atenda aos nossos parêmetros!
Espero que 2010 tenha sido bom com todos e a década também!
Já estamos no século XXI, nossas atitudes mostraram se ele é ou não do futuro!
Feliz 2011! Possa essa década ser excelente!

“Esse é o país que vai pra frente, esse é o país que vai pra trás… ele balança, balança, balança, mas não cai! Esse é o país que vai pra frente, esse é o país que vai pra trás… ele balança, balança, balança, mas não cai! Dá voltas, dá voltas dá voltas em círculo e para no mesmo lugar! Brasil”
Novo hino do Brasil! Bonito, não? Condizente com a conjuntura nacional! Quem aí gosta de dançar aquele famoso roda-roda-vira? Você roda, você pula, você balança, você não cai! E o melhor não sai do lugar!
Infelizmente caminhamos para o fim de um ano que não nos acrescentou nada e nos seus últimos dias virou uma bosta pastosa nos pés de cada brasileiro!
62% de aumento… é um pouco ridículo tudo isso! Quem neste mundo não faria isso? Você escolhe o seu salário e tem a opção de votar nele! Quem seria o bobo em dizer que não? Ou melhor, o honesto… ou pior… quem seria o honesto de uma casa imunda a falar isso? Minoria se é que vocês concordam comigo!
Aceitar que o salário mínimo simplesmente suba para 540 reais ao invés de 570 é algo baseado em questões de falta de dinheiro no orçamento da união, mas um aumento de 62% é baseado em quê? Lembrando senhoras e senhores expectadores do circo Brasil… De 510 para 540 reais, o salário tem um acréscimo de aproximadamente 5%… ou seja, o salário deles, percentualmente aumentará 12,4 vezes mais do que a da maior classe do país, a trabalhadora. 12,4 vezes é o resumo da desigualdade e do buraco que se abre no “Brasil, um país de todos”… Brasil o país do futuro! Nunca antes na história deste país a bosta foi tão evidente!
E hoje o Maluf foi simplesmente liberto da lei da ficha suja! Ou da ficha limpa… cabe você escolher como chamá-la! Diria eu que se chama lei da palhaçada nacional!
Espero também que agora não vá para frente a idéia de um órgão para controle de mídia!
Vejo um futuro sombrio!
Parlamento vota para si próprio benefícios, leis não funcionam, controle de conteúdo da mídia e população simplesmente desmotivada e apolíitica… ah, uma outra coisa, temos já até propaganda – “Brasil, um país de todos!” …. dilacerante! Se surgir agora a ideologia de Estado perfeito… pimba! Totalirismo!
Democracia e justiça social no Brasil são fakes do Orkut! Quem não sabe o que é um fake, não precisa pesquisar, é só parar e notar o que acontece!
A gente não vive o Brasil!

Gosto de Rita Lee, esta sabe criticar e ser irreverente! O zênite da arte desta mulher é “Tudo Vira Bosta”! Forte, não é?
A princípio soa esdruxulo, mas é genial! Pois tudo vira bosta! Espero que não seja bosta pastosa!

“A ditadura e o oprimido
O prometido e não cumprido
E o programa do partido
Tudo vira bosta…”

Vimos uma ditadura subir e cair! Opressão nunca mais!
Vimos pessoas prometerem e cair! Acorda, Brasil! Acorda! Derrubemos! Puxemos tapetes! Só o povo não vira bosta! Mas o resto, tudo vira bosta! A começar o programa do partido que não foi cumprido! Tudo, tudo!

“Mulçumano e cristão
A Mercedes e o Fuscão
A patroa do patrão
Meu salário e meu tesão
Tudo vira bosta…”

O mulçumano, o cristão, o budista ou quem quer que seja! Juntem-se! Nós mandamos! Não deixemos que façam merda ou que tudo vire bosta! Chiqueiro não é lugar nem para gente nem para porcos! Mas prisão para porcos ladrões!
A Mercedes do patrão e da patroa, quem paga é o empregado! Quem manda é o empregado! O Poder deve vir de baixo! De quem anda de Fuscão!
Meu salário não pode virar bosta não tudo mão, porco lambão! De sol a sol eu trabalho! Meu tesão também não é seu! Me pertence! Seja na cama ou simplesmente para viver! A gente merece! Não cague nisso também! Deixe-nos viver!
Minha vida… essa não vira bosta não! Não mesmo!

“Pavaroti, Xororó
Minha Eguinha Pocotó
Ninguém vai escapar do pó
Sua boca e seu loló
Tudo vira bosta…”

Seja você erudito ou não! Eu sou igual a você, você é igual a mim! Pode escutar Pavaroti; se eu fico no samba, no funk, sertanejo ou o que quer que seja, eu sou como você você é como eu! Isso não vai virar bosta! De forma alguma!

“Prostituta e deputado
A virtude e o pecado
Esse governo e o passado
Vai você que eu ‘tô cansado’
Tudo vira bosta…”

A prostituta deve ser melhor que o deputado safado! São dignas de moral, pois abrem suas pernas sem dó! O deputado safado e corrupto enche os bolsos com dinheiro alheio … isso é falta total de moral! É falta de ético! Abra os seus olhos cidadão! Não deixem cagar nisso… eh, isso não pode virar bosta!
Roubam hoje, já roubaram ontem! Agora amanhã, não roubarão! O governo não vai virar bosta, não! O ontem, o hoje e o amanhã serão diferentes! Não, não vira bosta não! Se você quer que vire bosta… vai você junto então! Eu já me cansei! E muito!

“O ovo frito, o caviar e o cozido
A buchada e o cabrito
O cinzento e o colorido (…)
O vinho branco, a cachaça, o chope escuro
O herói e o dedo-duro
O grafite lá no muro (…)
Filé ‘minhão’, ‘champinhão’, ‘Don Perrinhão’
Salsichão, arroz, feijão (…)
O pão-de-ló, brevidade da vovó
O fondue, o mocotó (…)
A rabada, o tutu, o frango assado
O jiló e o quiabo (…)

Seja qual for seu almoço, seu jantar, sua bebida! Sente você no “prato-feito”, no restaurante internacional… beba você no botequim da esquina, no barzinho da moda… não deixe tudo virar bosta!
Seja você erudito, seja você popular! Não seja simplesmente destituído de pensar!

Senão tudo vira bosta!

Digo e repito! “Somos uma Nação de sorte!”

Realmente, adoro enfatizar isso – temos de tudo por aqui! Temos sol, temos água, não há chão que dê tudo como o nosso, temos um povo alegre, um território vasto… tudo, se citar tudo, ponto por ponto, isso me tomará horas, talvez dias, ou mesmo, meses… serei breve pois! Até para o dia do segundo turno de nossas eleições temos sorte! Dia 31 de outubro! Excelente, nada mais apropriado! Dias das Bruxas! A bruxa estará solta! Duas bruxas… um embate terrível! Duas extremistas loucas e insanas… de uma lado, uma bruxa elitista e hiprócita, sua cor: o azul. De outro, temos a bruxa vermelha de estrelinha amarela, esta também não é tão boa, muito demagógica… Uma maçada!
Dia 31 temos novamente a chance de traçarmos parte da nossa história, pois o poder é nosso, é do povo! Nós somos os patrões! Entretanto, desta vez estamos literalmente sem escolhas… ou a besta vermelha-esquerdista ou da besta louca de direita hipócrita! Terrível! Por mim se instauraria um Tribunal da Santa Inquisição para uma boa caçada…
O brasileiro urge hoje por tudo! Urgimos por saúde, pedimos segurança, queremos melhores salários, não gostamos de ser tratados como porcos! Necessitamos de educação para todos! Não simplesmente de propaganda que diz sermos o país do futuro! Não somos! Essa é a verdade! Não temos nada… não temos saúde, não temos escolas boas, não temos segurança nas ruas (quando não temos em nossas prórpias casas), não temos infraestrutura, não temos nada… é triste! Somos um país sem base!
Muito já foi feito, hoje somos economicamente mais fortes, a desigualdade diminiu… mas não é só política… somos um povo batalhador… isso não dizem nunca na propaganda política… nem a bruxa azul que diz ter feito maravilhas para a economia, nem a vermelha que mudou o social… não citam o povo como o carro-chefe das mudanças! Pois somos nós que mais trabalhamos de sol a sol para termos algo em nossas casas… para darmos algo de melhor às nossas crianças… um futuro diferente e melhor daquilo que nós vivemos hoje, em nosso presente!
Mas ainda temos muito a fazer, precisamos de mais mudanças… algo mais concreto, além de 90 reais mensais! Sabem do que falo! Precisamos de algo além de um 13º salário de programas sociais, ou salário de R$ 600,00 criado do nada sem ao menos pensar … na verdade o nosso salário deve e precisar ser maior que essa miséria!
Somos a potência da América Latina! Mas não parecemos… muitos deles têm patamares gerais melhores que os nossos… muitos deles têm educação de qualidade, são países seguros, têm sistemas de saúde condizentes com as necessidades humanas, tem infraestrutura…NÃO VIVEM AOS TRANCOS E BARRANCOS!
Somos um elefante branco! Aquele presente que o rei de Sião (Tailândia) recebia… como se conta a estória… é sagrado, tem de ser dado… só não tem utilidade alguma, só atrapalha!
Gigante de pés de barro! Como a Rússia czarista… tem apenas tamanho, mas não consegue se sustentar, é muito falho!
A pessoas devem muito abrir seus olhos na hora de escolher alguém que nos represente com dignidade e claro, seriedade. É necessário alguém com boa vontade e índole. Não devemos ouvir apenas propostas sem pé nem cabeça ou promessas que supostamente mudariam a nossas vidas… Devemos analisar profundamente a seriedade e disciplina dos governantes, devemos cobrar, devemos pressionar e pressionar… o povo é quem manda… como diria o ditado “A Voz do Povo é a Voz de Deus!”… e se ele é onipresente, onisciente e onipotente, o somos também! Onipresentes, pois somos aqueles que devem ser considerados em todas as decisões; oniscientes, pois ninguém melhor que o povo para saber a situação de penúria ou mesmo de felicidade que vivemos em determinados e específicos momentos; por fim onipotentes (é o que mais gosto), porque somos os tomadores de decisões, somos os que podem ascender alguém e ao mesmo tempo derrubar este alguém… Enfim, cheguei ao ponto mais importante disso tudo… ao ponto de que nós podemos mudar as coisas de forma mais consistente que um presidente, governador, senador e assim por diante. Afinal somos os chefes, somos o carro-chefe, somos o poder, somos a decisão…
Isso tudo me faz lembrar do refrão de uma música…”Hoje você é quem manda/Falou, tá falado/ Não tem discussão, não/ A minha gente hoje anda/ Falando de lado e olhando pro chão/ Viu? (…) Quando chegar o momento/ Esse meu sofrimento/ Vou cobrar com juros. Juro! (…) Como vai abafar/ Nosso coro a cantar/ Na sua frente/ Apesar de você/ Amanhã há de ser outro dia”… Chico Buarque foi excelente ao compor isso, “Apesar de Você” ainda se encaixa em nossa conjuntura!
É hora de nos unir-mos contra a estrutura vigente(soou realmente socialista e/ou subersivo – ao menos hoje sou livre para proferir o que quero! Espero que continue assim por anos, não é Dirceu?), não é uma revolulção armada, isso é antiquíssimo, entretanto, algo pacífico é mais consistente… no dia das bruxas podemos fazer isso, a eleição é nossa. O voto não tem nenhum candidato como dono, mas sim nós, eleitores! É nosso direito e como dever o Estado deve fazer algo para nós!
Meus conceitos, é claro, variam completamente se comparados aos de qualquer leitor… minha idéia não é mexer na cabeça as pessoas com o intuito de que votem em D ou S… é na verdade, fazer com que as pessoas pensem consciente e abertamente na hora de votar, que olhem ao redor, vejam e sintam aquilo que temos e que depois cobrem! Não implorem, pois isso é na verdade errado, implorar por algo que é direito seu, deveria ser considerado crime, e quem omite isso, com total certeza e convicção deveria ser punido. Não implorem! Cobrem, mandem e ordenem! Não aceitemos as coisas vindas simplesmente da boca para fora! Palavras jogadas ao ar, escritas no papel ou coisas do tipo, não tem valor algum! Necessitamos de coisas concretas, de ações verdadeiras!
Governar é como fazer um dieta… é a melhor comparação que posso fazer, acho que temos que falar de modo simples para que as pessoas possam entender as coisas de forma mas ágil! Numa dieta se tem remédios para um certo controle, você precisa fechar a boca e claro fazer exercícios sistêmicos para que as gordurinhas sejam queimadas! Governar também é assim, você precisa de transparência, competência, visão estratégica e de futuro, planificação (remédio); tem que se trabalhar com total boa vontade, para que os objetivos sejam alcançados (fechar a boca) e por último, ações devem ser tomadas de forma sistêmica em todas as áreas, mas com uma constância gigantesta e que tenha pontualidade germânica (exercícios).
Parece que tornei tudo isso algo difuso, desde a primeira palavra escrita… mas não é tão assim, tudo isso tem um contexto muito exato… uma Nação bela, de uma povo forte merece um governo à altura, entretanto, para isso, o povo que detém toda a força deve ser consciente de sua força, de seu tamanho! É este o ponto ao qual quer chegar! Espero, caro leitor, que fui claro… ou que mesmo algo estando implícito, invadiu a sua mente…
Lembre-se que a direita hipócrita que elitizou as drogas julga o tráfico, sendo eles as principais bases do mesmo, que condena o pobre… Lembre-se que a esquerda tornou-se demagógica e populista, aproveitando da situação do povo…
Eles quase se acham D. Sebastião saindo das águas para salvar o povo… ambos messiânicos… não precisamos de um messias, mas sim de alguém que faça algo de verdade!
Todos nós precisamos de oportunidades. Esta é uma luta constante, um desejo constante… queremos mudança, estamos cansados de promessas e mais promessas e de nunca vermos resultados… isto é um saco!
Se ficar o bicho pega, se correr o bicho come…. não pode ser assim! Assim não dá! Não aguentaremos mais! Pensem, pensem, pensem e pensem outra vez!
Que o Brasil se projete para o brasileiro! E como diria Plínio – Viva o Brasil!
Dia 31 é a nossa chance de mudar… não é um voto para 4 anos de mandato, mas para o futuro de uma Nação… crianças, adultos, idosos, homens, mulheres, filhos, netos, pais… uma famíla de quase 195 milhões de membros está em jogo!
A força é nossa!

Penso que não seria tão difícil para um pedagogo ou qualquer outro especialista em educação fazer um longo e proveitoso debate sobre a situação da nossa educação hoje, sem pensarmos apenas nas condições das nossas instituições de ensino. Entretanto, educação não é algo somente restrita às escolas, universidades e quaisquer que sejam outras intituições de ensino. De um modo geral, a educação é a forma pela qual as pessoas se portam no seu dia-a-dia… Até que ponto tenho a intenção de levar o leitor? A um esclarecimento do quão fraca é a nossa educação, sendo isso um fato já constatado por muitos de nós, só que por uma visão de cabresto, achamos que ela está apenas restrita aos estudos. Pois quebremos o cabremos e saiamos da visão lógica…. nem tudo é como um muro, onde tijolos estão logicamente dispostos, mas também não há nisso um desenho mágico que nos leve aos produtos de uma fórmula complexa… não há nem geometria pura e aplicada nem mesmo química orgânica ou física quântica para isso… A solução se dá de forma humanizada…. isso mesmo… hu-ma-ni-za-da, com as com as 5 síladas claras do vocábulo!

Já está mais que claro que todos nós somos seres pensantes e que estamos dispostos hierarquicamente. Disposição a qual se dá de for piramidal. Bases largas e numeros, topo fino e restrito. O leitor já pode notar as classes, povo e elite dominante. Nessa pirâmide estratificada se dão todas as relações entre os membros de uma sociedade. Alguns claro, dispondo de recursos, têm facilidades, outros, ao contrário, devem lutar por/buscar estas facilidades. Nem sempre as relações se dão de forma igualitária.

Certo seria quebrar a pirâmide, e dispor todos de forma linear e igualitária. O principal método é a educação. Através dela, podemos conscientizar o homem das desigualdades existentes, transformando-os em seres mais humanitários e claro, dar àquelas pessoas que não tem grandes chances/oportunidades, uma base, na qual possam se apoiar e se erguer para chegarem ao mesmo patamar dos outros.

A educação ao mesmo tempo que qualifica o homem, tem o poder de transformações! A tomada de consciência por parte das pessoas é a fonte de mudanças, quando se conhece todos os direitos, deveres e conjunturas, a sociedade está apta a realizar mudanças que sejem correlatas ao tempo em que se vive, que correspondam às necessidades de todos. Entretanto, ponto importante a frisar é… “necessidades de todos”. Isso sempre acontece? Claro que não. Afinal, os mais prejudicados não dispõem nunca de métodos para que estejam postos num mesmo patamar, numa mesma conjuntura, na qual estão os demais. Isso é falta de conscientização geral, a mesma gera um comodismo imenso… que se alastra como praga em lavoura.

Nossa educação é fraca… ensinamos apenas cálculos e fórmulas, ao invés de ensinarmos o pensar! PENSAR É FUNDAMENTAL. Se o indivíduo não pensa ele não é capaz de mudar nada, pois não é apenas de axiomas que se faz homem. Deve-se pensar e após isto, por em prática aquilo que se sabe ou que se busca. Insipiração é fundamental, basear-se em doutrinas e criar outras também… há sempre espaço para um novo pensamento…em busca de mudanças e vetando repetições contínuas, atrás sempre de novas soluções aos problemas.

Educar não é apenas criar robôs, que sigam uma linha de um sistema vigente, mas sim, criar indivíduos que saibam ou que queiram mudar. Não é apenas ensinar Matemática, Literatura, Ciências, Geografia ou História, mas por que não o Direito, a Política, a Economia e as Relações Interpessoais? Não precisamos disso apenas na universidade! Já devemos chegar lá, como sendo seres dotados de razão! Formação humanitária! E não robozinhos milimetricamente calculados e executados. 

Para que possamos constestar, precisamos de argumentos. Mas como fazer isso se não temos uma base formadora de pensamentos, mas só uma base formadoras de pessoinhas estáticas? Não deve ser uma educação forçada no estilo Laranja Mecânica na qual Alex DeLarge é submetido a um tratamento tão doloroso e ridículo, que apenas o manipula por algum tempo e não surte efeitos concretos no final de tudo – quem já assistiu ao filme há de entender. Isso é um cabresto – “Faça dessa forma, caso contrário, você sofre as conseqüências”. Não pode e nem deve ser assim! Devemos saber que isso deve ser feito de um modo diferente. Devemos se educados de forma inteligente, sabendo até que ponto podemos fazer certas coisas e que nossos atos prejudicam os outros. Precisamos aprender a pensar, ou melhor, ensinar a pensar.

Isso evitaria papéizinhos nas ruas, corrupção moral espalhada de forma generalizada, negligências, matança a torto e direito, respeito ao ser como sendo um ser e assim por diante!  Começa tudo em casa, passa pelas instituições de ensino e se manifesta na sociedade.

Somos capazes de mudar? Sim. A mudança na pirâmide começa de baixo para cima! Os mais numerosos, são os mais fortes! Como dizem por aí… a voz do povo é a voz de Deus… o povo somos nós, Deus o governo! Voz ativa, governo ativo; voz passiva, governo passivo…

Reviver movimentos de mudança é algo fundamental. Para tal, devemos voltar a pensar. Somos seres dotados de razão, por isso mesmo, não devemos nos assentar e ficar esperando mudanças. Nem plantas crescem sozinhas, sem um ajuda de um certo adubo… Precisamos de tal adubo. Cutucando cada membro da sociedade, podemos realizar grandes mudanças! Mas nada de mudança farônicas e irreais… Ao acordamos, um a um… iniciaremos transformações, passaremos a exigir e claro, formaremos pessoas.

Ser cidadão é fundamental… é uma necessidade, um direito. Lutemos pois!

Pode parecer algo egoísta dizer que as chuvas são algo tão ruim! Elas trazem consigo águas de fertilidade à terra, águas que matam a sede, que fazer o verde brotar… tudo que se possa imaginar nesse planeta está intrisecamente ligado à água! Sem ela não há vida! Uma simples gota d’água fará enorme diferença em qualquer ambiente… em qualquer circunstância, seja ela a mais extrema… Mas nesta semana, a água das chuvas foi a nossa maior tristeza, motivo de condolências… É triste pensar assim, mas é a realidade.

Num país tropical, as chuvas são mais intensas e ainda há o adicional da mãozinha do homem pra estragar a natureza. Um sistema que vivia em plena harmonia agora está totalmente desordenado, fora de controle e por si só não resolve questão alguma que precisemos.

Não é culpa da natureza todos os nosso problemas resultantes de mudanças climáticas.. não.. de forma alguma! Ela apenas age como está sendo posta para agir… completamente modificada, danificada… sem o homem pensar que é parte dela…

A culpa não é do povo. A culpa não é do governo! A culpa é de ambos… mas é óbvio que pesa mais nas costas da nossa ineficiente governança pública! É ela a habilitada e responsável em resolver os problemas do povo, a que deve agir com pulso firme para que os cidadãos sigam regras para que a sociedade seja o mais forte possível… Também culpado é o povo, que não cumpre o seu papel de cidadão organizado, de cidadão limpo, mas sim de cidadão porcalhão. E do governo, que não faz nada para melhorar a situação geral do Brasil.. é uma corda bamba, uma hora alguém cai. E sempre quem cai é o povo.

O país precisa antes de mais nada de visionários e não demagogos… não precisamos de Copa do Mundo ou Olimpíadas… não mesmo… precisamos de saúde, segurança, educação, emprego e TRANSPARÊNCIA! Não devemos mostrar ao mundo quem nós não somos… todos já sabem da nossa qualidade de 3º mundo…mas ser 3º mundo não é vergonhoso.. vergonhoso é ser um 3º mundo que não quer se desenvolver. É errrado abrir a boca para dizer “que nunca na história desse país”…. sim é errado… não se deve comparar o hoje com o passado, o que se foi se foi…deve-se pensar no que será daqui pra frente e que a próxima geração possa viver num país digno… não precisar ser um país Nórdico, mas apenas digno. Onde pessoas tenha o que comer, onde crianças tenham onde estudar, idosos onde se tratados… e sobretudo, onde o brasileiro não more sobre o lixo e morra sobre ele…. deveríamos dizer “nunca mais na história desse país isso será permitido”… senhor Presidente… os próximos invernos seráo chuvosos, o clima do Mundo não é mais o mesmo… não aguentamos nem nossas chuvas sazonais, imagine as que vem fora da época… espero que o Maracanã possa estar cheio de água na final do Campeonato Mundial de Fttebol em 2014… não para matar pessoas… mas sim, para mostrar a todos, que o Brasil não precisa se projetar para o mundo, como um país que não é…. mas que o Brasil, deve se projetar para o brasileiro, como o país que queremos e precisamos.

Asneiras tomam contam deste solo… mas só tomarão conta até quando permitimos tamanha barbáre!

Não é errado ajudar o Haiti ou o Chile… é necessária a solidariedade para com os irmãos… sim é fato. Mas não é necessário entravar a ajuda dentro da sua própria república federativa….

O Brasil precisa de mudanças, reformas, pessoas com visão de futuro…. só assim, tudo entrará nos eixos como estamos esperando já nestes quase 510 anos!

Não direi que vou me à Parságada… já que são só ruínas… mas não quero do meu Brasil… uma Parságada… uma terra de fantasias.. quero do meu Brasil, um Brasil brasileiro… um Brasil para o brasileiro… não quero ser amigo do rei ou ter a mulher que eu desejo… quer que as crianças leiam, comam, os idosos vivam sua velhice, que os adultos trabalhem, tenha suas oportunidades… quer uma Terra Brasilis de verdade… que o presente e futuro sejam gloriosos!

Não só o mundo precisa do Brasil, mas antes de mais nada, o brasileiro!

Eh, isso no Brasil ocorre a cada 2 anos! Eleições! É a época de “papagaiada”… caso não entendam o que é isso, apenas digo, com minhas próprias palavras, é uma época de promessas! Papagaios falam demais! Isso cansa a cabeça de qualquer um! É necessário um bom escudo anti-merda! A cada dois anos somos bombardeados por uma enorme quantidade de restos podres! Argh!

Pois é isso, 2010 é ano de eleições! São sem dúvida as que mais movimentam o país, já que envolvem os governos estaduais e federais, não que sejam mais importantes que as municipais! São as que mais movimentam dinheiro, e claro, tem importância fundamental para o rumo do país nos próximos 4 anos!

Agora todos riem! Ah…. até nossa querida Dilma! Como diz a minha mãe, “eles vem, comem do seu prato, bebem do seu copo, chegam em casa, lavam a boca com cloro”… assistam algumas propagandas políticas… não vai ser difícil ver alguém desfrutando do prato ou copo de um cidadão!

Eleições são o período de maior hipocrisia! Sim! Pasmem-se, mas é verdade! Infelizmente as pessoas caem nessas lorotas da politicagem! Isso é uma indústria! Não podemos acreditar que os que tem a melhor propaganda eleitoral, ou a que dura mais tempo, a mais bonita, são os mais inteligentes e que estão aptos para governar! Não! Isso é tudo uma roupa horrível que eles vestem! Depois de 7 anos de governo Lula, eu vi que nem tudo aquilo  de 2002 era verdade! Bem, já havia desgostado de tudo, desde o fim do primeiro mandato! As pessoas o amam pelo simples fato de ser paternalista… mas não é isso que nós precisamos. Ok, devo admitir que a política econômica foi muito boa, mas em outros aspectos ficamos bem aquém!

Vivemos agora um momento decisivo, estamos firmes na política internacional, nos transformamos em um dos principais atores de qualquer mesa redonda que há, nossa opinião agora é forte, diferente daquele do início do século XXI! O Brasil agora passa por um momento de se firmar mais ainda, mostrar ao mundo, principalmente aos pólos de força (EUA, UE e Japão), que a América Latina está mais viva do que nunca! Somos o país mais forte da região, e sem dúvida quem deve representá-la! Mas isso tudo começa dentro do país… o ponto onde eu quero chegar, são os das melhorias que devemos passar! Isso tudo nos remete às eleições!

Buscamos ao mesmo tempo dar continuidade e fazer mudanças, melhoras! Devemos buscar candidatos não com visões futuristas ou exageradas, mas com pés no chão e visão de vanguarda! Não devemos copiar modelos já usados, mas criar o nosso, que se encaixe naquilo que nos é necessário, na nossa conjuntura!

Um tal PAC não é necessário! Ele mesmo não funciona de forma necessária ou acurada! Não precisamos apenas de obras de infra-estrutura! Mas sim de algo social para mudar a população! Um país de futuro se faz com uma população consciente de seu papel como povo! As coisas devem ser feitas não para um pensamento em curto prazo, mas sim, a longo prazo!

Precisamos agora de governantes mais limpos e sérios! Pessoas inteligentes que uma visão ampla! Precisamos de pessoas com uma certa história e envolvimento político, que já saibam o que realmente é política, que conheçam a nossa realidade! O nosso Presidente sabia de tudo, mudou muito, saiu do caminho!

Precisamos de pessoas que saibam antes de tudo, lidar com o povo, ser do povo, com carisma e claro, trabalhar para o povo, já que nós somos os chefes do país! A voz de uma Nação emana de baixo! É DO POVO!

Precisamos de uma enorme conscientização geral! Sim, vamos sentar 30 min do nosso dia para ver o que eles nos tem a oferecer e claro, analisar o que já fizeram, procurarmos saber que realmente são! Olhar nas nossas necessidades, ver aquilo que precisamos! Não podemos cair na demagogia exacerbada! Não há um salvador da pátria ou alguém que sejam um Messias para nós! São todos pessoas… mas pessoas tem capacidade de fazer ou não o que dizem… devemos ver até onde é possível!

Vamos analisar as necessidades de nossos filhos, vizinhos, amigos, parentes. Vamos ver também aquilo que as escolas, hospitais, segurança, rodovias precisam! Ou seja, vamos ver do que o Brasil precisa!

Antes de mais nada, não precisamos de conversa jogada fora! Precisamos de ação! Mas ação com consciência!

Vejamos que é o candidato de maior e mais limpa trajetória políticas! Vamos engolir todo o tipo de informação, usar nosso cérebro, processar aquilo que é certo, deletar o desnecessário, e fazer uma impressão dos pontos positivos!

No domingo de eleição, vamos todos votar com consciência! São momentos que são decisivos para os anos futuros!

O Brasil só será uma Nação forte, quando o SEU POVO fizer jus a isto! Sim, nós podemos!

O mundo irá nos reconhecer mais ainda pelo que somos! Pela voz que temos! Seremos um país do futuro, apenas se quisermos!

Tampemos nossos ouvidos para os papagaios! Vamos escutar àqueles que tem um canto que realmente nos atraia!

Provavelmente esta segunda-feira que se passou foi a mais vergonhosa da diplomacia Lula! Vou citar “diplomacia Lula” porque acho que o nosso contato político com o exterior nunca foi tão intenso. Não sou fã de carteirinha do nosso Presidente, mas posso e devo admitir que em quesito diplomático, tem sido forte. Mas ultimamente o Brasil tem dado passos infalsos com as suas pernas diplomáticas que projetaram o país de uma forma fortísisma no cenário global!

Receber Ahmadinejad no Brasil foi sem dúvida a ponta do iceberg! Receber alguém do tipo com honrarias de Estado é sem dúvida algo terrível! Um homem que diz que varrerá Israel do mapa, que é totalmente machista e homofóbico (diz que não há homossexuais no Irã), que vem criando um programa nuclear duvidoso, que nega o Holocausto, a mais terríveis das tragédias humanas e por aí vai. Será que um tipo de pessoa como essa, deve ser recebida em um país democrático, que aceita as diferenças a abriga todos os tipos humanos? Eis a dúvida! São como dois pólos opostos de um ímã tentando se juntar e simplesmente pela lei física, não conseguem.

Infelizmente, toda regra tem sua exceção… e passamos pela crueldade de nos encaixarmos bem nessa bendita situação! Fomos exceção, os pólos oposto do  ímã se uniram. De um lado um que prega a liberdade do outro um que prega não se sabe bem o que, mas algo que não cheira muito bem.

Rejeitar essa visita soaria mal? Com certeza não, quantos países estão fechados para o Irã? Ou melhor, não para o Irã, mas para seu Presidente despótico disfarçado sob a máscara de bom rapaz do Oriente Médio. Nosso querido Presidente (que sempre fala algo que não deve – este deveria ser o seu sobrenome) disse que não podemos nem devemos isolar o Irã… Mas peraí, o governo iraniano por um acaso vive civilizadamente com o governo de alguma Nação? Não, só com aquelas que tem os mesmos interesses que eles, como a Coréia do Norte ou Venezuela… não a Nação, seus governantes, os Chefes de Estado, não é culpa da Nação, não é culpa do povo.

Muitas pessoas fizeram coisas corretas – foram sem medo às ruas protestar contra a visita de tal homem. É maravilhoso saber que vivemos em clima de liberdade. E nos entristece saber que pessoas, de carne e ossos e acima de tudo, que tem sentimentos, assim como nós, vivem trancafiadas em suas países sem saber o que acontece pelo mundo afora, com a impotente justificativa da velha e odiada subversão!

A energia nuclear que esse Presidente insiste em desenvolver não é para fins pacíficos. Todos sabemos que potências nucleares alcançam um grande poder político regional a princípio e depois mundial. Se um país se armar até os dentes o seu vizinho, logo fará o mesmo por medo e assim esse efeito dominó vai pegando.

O ruim é sabermos que o governo iraniano tem más intenções com a energia nuclear e defendermos o seu desenvolvimento e uso – nosso bom Presidente fez isso. Alegando que quer para os outros o que o Brasil tem. Nossa maior vergonha energética não foi o blackout que pegou de surpresa 60 milhões de pessoas e sim termos duas usinas nucleares obsoletas, Angra I & II, material e equipamentos para a construção de uma terceira usina na região e planos para construções de outras pelos território! Energia cara, perigosa e que amedronta qualquer um – junta-se o inútil ao desagradável! Sem contar que somos um país com enorme potencial hidrelétrico, eólico e solar e podemos fazer uso de outras fontes energéticas limpas!

Não precisamos passar o mesmo que passaram e ainda passam as pessoas em Chernobyl, em outras localidades na antiga URSS ou mesmo em qualquer outro país desenvolvido. Vamos nos lembrar do incidente em Goiânia com césio 137…. Imagine só uma usina em processo de fissão ou fusão nuclear… uma bomba como as de Hiroshima e Nagasaki…

Nossa diplomacia precisa se lembrar de incidentes e tragédias que o mundo nunca se esquecerá antes de receber alguém que tem ódio contra os outros e quer fazer uso de tamanho perigo…